quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A cara do Brasil

O Brasil é um país estranhíssimo, as pessoas se importam mais em votar do Big Brother do que em votar em presidente. Esse é um país onde estuda se para passar de ano, entrar na USP, ser mão de obra qualificada, nós nascemos pra sermos peões. Vejo por mim, que quando digo que não quero trabalhar para ninguém, as pessoas vem me dizer “aaah, mas é tão arriscado... você tem que aprender a aceitar as regras dos outros, mesmo que elas sejam erradas eles têm mais poder, você não vai a lugar nenhum assim, blábláblá", eu não escuto isso de uma pessoa, eu escuto isso de todo mundo que não são meu pai e minha mãe. Dizem isso de pessoas como eu, porem dariam tudo pra ser aquele esperto que finge que faz e ainda ganha. O brasileiro reclama do político corrupto, mas cultiva a corrupção em seu cerne.


Estamos em um país lindo, sem atividade sísmica, sem vulcanismo, sem invernos rigorosos, terra fértil e rica, e em vez de aproveitar isso pra ser uma nação boa e próspera, ficam“deitados eternamente em berço esplendido”. Brasil, lugar onde as pessoas não se mexem nem para ganhar dinheiro! Toda tecnologia vem de fora, por quê? “Ah, nós não temos condições, somos subdesenvolvidos.” Não, a tecnologia vem de fora porque metade da população dorme enquanto deixa os outros fazerem o serviço, nem que tenham que pagar bem caro por ele depois, afinal, é muito mais fácil.

È histórico, se somos dominados, não lutamos, debochamos do dominador. E ele? Ele ri do nosso deboche, afinal ele não perde nada. Nós, no fim do dia, sentamos nossas bundas demasiadamente grandes no sofá financiado da sala e reclamamos que nossos filhos não aprendem, que o sistema de saúde não anda bom, o salário mínimo é uma miséria. Mas não só não nos mobilizamos em prol de nada, como nem pra votar em um presidente com propostas adequadas servimos.

È Brasil, assim vai longe!

Um comentário:

Leia também