terça-feira, 27 de julho de 2010

At first you'd sound so ordinary

Sei que não és meu,
sei também que não sou sua.
Não só porque não te entendo,
não há ninguém que me possua.

O pior é constatar
que ao imaginar
sua boca em mim,
estremeço.

Fizeste coisas demasiado sujas.
Superficialidade, vinda de outros,
me assusta.

Eu não deveria querer-te,
mas quero.
Basta me agora esperar não amar-te,
na ânsia
de ter seus braços a minha volta.

3 comentários:

Leia também